Home / Ficção / Criando Laço com o Leitor – Ato 1

Criando Laço com o Leitor – Ato 1

Já falamos sobre o uma das funções do primeiro ato do seu romance – fisgar o leitor, agora vamos para outra que também é essencial: criar um laço entre os seus personagens e o leitor.
Segundo James Scott Bell há quatro formas para aumentar o laço emocional entre seu leitor e seu personagem: identificação, simpatia, carisma e conflito interior.


Identificação
Uma vez que é o protagonista quem providencia acesso ao enredo, quanto mais o leitor se identificar com ele maior será a intensidade da sua experiência com o enredo.
Identificação significa simplesmente que o protagonista é como nós. Sentimos que se estivéssemos na mesma posição que ele poderíamos fazer as mesmas coisas.
Tente fazer o personagem parecer uma pessoa real. Alguém a procura de seu lugar no mundo, com seus medos e defeitos.
Imagine por exemplo Indiana Jones. O medo que ele sente de cobras é uma das coisas que o transforma em um personagem com quem podemos nos identificar, e é um pequeno detalhe do qual quase todos lembramos.


Simpatia
Ao contrário de mera empatia, simpatia leva o leitor a investir emoções em relação ao personagem. Ele não apenas entende o personagem, ele torce por ele. Há quatro caminhos simples de gerar simpatia. Use-os tomando cuidado para não exagerar.
Perigo. Coloque o herói em um perigo terrível e eminente e você conseguirá a simpatia das pessoas. Pode ser um perigo físico ou emocional.
Dificuldades. Se o herói enfrentar infortúnios que não são culpa dele você também gera simpatia. Pode ser pobreza, falta de educação formal, alguma deficiência. Porém é importante não permitir que ele fique se lamentando disso. Ele pode até ter alguns momentos de fraqueza, mas precisa se reerguer rápido e continuar lutando.
Oprimido. Também chamado de Underdog, é o personagem que a primeira vista pode parecer o perdedor. As pessoas adoram torcer pelo lado mais fraco. Veja o exemplo do Daniel Larusso em Karate Kid.
Vulnerabilidade. As pessoas se preocupam com o herói que pode ser esmagado a qualquer hora. Ele pode ser inocente com relação ao mundo, ou a situação em que se encontra, ou apenas mais fraco.


Carisma
Um protagonista carismático é aquele que faz coisas das quais as pessoas gostam. Eles podem ser graciosos ao conversar, solidários, engajados, o tipo de pessoas de quem todos gostam de estar por perto. As pessoas também costumam gostar de personagens que não se levem muito a sério.
Porém, vale notar que as pessoas que tentam demais ser legais podem acabar tendo efeito oposto.
Você também pode criar um protagonista antipático, mas precisará dar a ele outra qualidades para compensar. Um bom exemplo é dar a eles poder – veja Michael Corleone.


Conflitos internos
Personagens que tem total certeza do que fazem, sem nunca sentir medo, são chatos. As pessoas querem personagens que tenham dúvidas, como elas.
O conflito mais comum é entre o medo de fazer algo e o dever, ou honra do outro. Porém você pode acrescentar vários outros.

Compartilhe!
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Sobre Carolina

Carolina
Apaixonada por livros, estudante de Letras e escritora em treinamento.

Check Also

hqdefault

Erros mais comuns: como não usar rótulos de falas e marcadores de ação

Não prejudique a graciosidade dos diálogos dos seus personagens com erros de pontuação ou estilo. ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Menu Title