Home / Ficção / 8 dicas para escrever personagens crianças

8 dicas para escrever personagens crianças

Com sua mistura fascinante de inocência, estado de alerta, egoísmo, e idealismo, personagens infantis pode criar várias oportunidades interessantes para ironia, simbolismo, identificação e humor. Mas descobrir como escrever personagens crianças é um território cheio de armadilhas potenciais.

Considere esses oito faça e não-faça quando escrever personagens crianças.

4 não-faça ao escrever personagens crianças

1. Não fazer seu personagem muito fofinho

Há apenas uma Shirley Temple, e eu sinceramente duvido seu jeitinho teria sido tão bonito quando transmitida nas páginas de um romance. Se seus personagens infantis vão ser fofos, eles devem ser fofos naturalmente, através da força de sua personalidade, não porque todo o propósito de sua existência é ser adorável. Fofísses forçadas raramente funcionam, da mesma forma que humor forçado.

2. Não faça seus personagens infantis muito sábios

“Da boca de bebês” pode ter seus momentos de verdade. Mas, com raras exceções, não transforme seus personagens infantis em pequenas fontes de sabedoria. É verdade que as crianças têm o benefício de ver algumas situações um pouco mais objetivamente que os adultos. Mas quando elas começam a jorrar todas respostas calmamente, o resultado geralmente parece mais clichê e conveniente do que impressionante ou irônico.

3. Não faça seus personagens infantis burros

Não confunda falta de experiência das crianças com falta de inteligência. Não faça os seus personagens infantis ficarem por aí com um dedo na boca e uma expressão vazia no rosto. É normal eles não saberem o que está acontecendo, mas não se esqueça, nem por um minuto, que seus cérebros estão trabalhando nos bastidores, tentando descobrir tudo.

4. Não faça seu personagem falar como criança

Ao escrever personagens infantis, as mesmas regras se aplicam a seu diálogo que a uso de qualquer tipo de dialeto: não abuse dele. Não escreva como se tivesse língua presa. Não crie o hábito usar suas palavras minunciosamente.

4 faça ao escrever personagens crianças

1. Escreva seus personagens infantis como indivíduos únicos

Nunca coloque um “personagem criança” em sua história, assim como você não colocaria um “personagem americano” ou uma “personagem feminina”. Crie um indivíduo que tem uma razão de ser além de ser um mero acessório.

Adultos muitas vezes tendem a agrupar todas as crianças em uma única categoria: fofinhos, pequenos, barulhentos, e, ocasionalmente, irritantes. Olhe além do estereótipo. Lembra de como você era quando criança? Lembra do quão inteligente, determinado, curioso, e individualista que você era? Um truque que eu gosto de empregar para obter de volta a mentalidade da criança, é olhar para fotos e vídeos de mim mesma na idade correta.

2. Dê a seus personagens infantis objetivos pessoais

Um único ingrediente que transforma alguém de um personagem estático em um personagem dinâmico é um objetivo. Pode ser fácil esquecer que as crianças têm objetivos, porque quando pensamos em metas, nossos cérebros adultos tendem a pensar em coisas grandiosas como ganhar um milhão de dólares, encontrar um amor verdadeiro, ou salvar o planeta. Na verdade, no entanto, as crianças são, sem dúvida, ainda mais definida por seus objetivos do que os adultos. As crianças querem alguma coisa a cada minuto. Quase toda a sua existência é querer algo e descobrir como obtê-lo.

3. Faça seus personagens infantis inteligentes

É claro que você não tem que sair e escrever um monte de pequenos Einsteins. Mas não faça seus personagens infantis “burros de propósito”. As crianças podem não saber tanto quanto quanto um adulto. mas tem uma mente brilhante trabalhando.

4. Não se esqueça são seus personagens são crianças

A maioria das armadilhas em escrever personagens que são crianças tem a ver com torná-los muito simplista e infantis. Mas não caia na armadilha oposta: não crie personagens infantis que são essencialmente adultos em pequenos corpos.

Uma das minhas passagens favoritas de todos os tempos é Little Men(Um colégio diferente) de Louisa May Alcott, em que os meninos arruinam o chá das meninas. Um dos meninos, banido do quarto, deita-se no chão para ouvir por debaixo da porta as meninas se consolando e dizendo que os meninos estão certamente arrependidos, e ele se levanta e diz, “eu não estou!” Perfeição!

As belas dicotomias da infância oferecem tantas oportunidades maravilhosas para a criação de subtextos e ironias dentro da ficção. Use-os com sabedoria e com o máximo de conhecimento e entendimento como vocÇe aplicaria a qualquer um dos seus personagens adultos. O resultado pode ser um dos melhores personagens que você vai escrever.

Escritores, digam-me suas opiniões! Você já escreveu um personagem infantil? Qual foi a sua principal preocupação ao escrever um personagem criança? Conte nos comentários?

Compartilhe!
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Sobre Carolina

Carolina
Apaixonada por livros, estudante de Letras e escritora em treinamento.

Check Also

hqdefault

Erros mais comuns: como não usar rótulos de falas e marcadores de ação

Não prejudique a graciosidade dos diálogos dos seus personagens com erros de pontuação ou estilo. ...

2 Comentários

  1. Adorei o blog, só falta a possibilidade de me inscrever para receber as novidades via e-mail. O Mailchimp.com é uma boa alternativa :-)

  2. everton siqueira

    pq ,vc não escreve mais em seu blog ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Menu Title