3 Dicas para Usar a Teoria das Cores na sua Escrita

Executivos de publicidade sabem sobre as propriedades psicológicas das cores há décadas. Ao criar logotipos de empresas e campanhas publicitárias eles sempre escolhem cores incentivam os consumidores a comprarem. Por exemplo, azul significa que uma empresa é confiável, enquanto verdes mostra que são naturais e ecológicas.

Cores de logos
Cores de logos

Você pode fazer a mesma coisa com a sua escrita. Aqui estão 3 dicas para adicionar mais cor à suas páginas.

1. Aprenda os conceitos básicos da teoria da cor.
Você não precisa virar um Mad Men e memorizar o significado de cada cor, apenas saber básico. Encontrar um bom quadro para manter perto de seu espaço de escrita vai ajudar. Por sorte, há uma série de bons artigos e infográficos sobre diferentes aspectos da teoria de cores.
Algumas empresas de pintura também tem gráficos disponíveis para download. Decoradores de interiores sabem que cores de parede e móveis ajudam a controlar o humor e podem aumentar a criatividade de uma pessoa. Você também pode ir às lojas da melhorias domésticas e conseguir alguns cartões de amostra da pintura. Eles realmente vêm a calhar para manter uma cor chave em mente.

2. Dê a todos os seus personagens principais uma paleta de cores pessoal.
Pode ser difícil decidir cores perfeitas para o seu personagem. Então faça este teste: Sem pensar muito, imagine que o seu protagonista chega em seu armário e pega um casaco favorito. Que cor ele é? O personagem que acaba de vestir uma jaqueta de couro marrom não é nada parecido com o personagem que estendeu a mão para um casaco em verde limão.

Você também pode pensar sobre nas características que você deseja que seus personagens principais tenham. Se você quer que ele seja percebido como estável e confiável escolha azul como sua cor principal. Se você quer o leitor perceba-o como artístico, mas amigável, escolha tons de laranja. Se o vilão está sempre de preto (como quase todos os outros vilão no mundo), você pode querer repensar isso. Cores certas podem intimidar e exalar um alto nível de confiança.
Você precisa se lembrar que cada cor tem um aspecto positivo e um negativo. Amarelo é ensolarado e feliz, mas é também a cor da traição e covardia. Verde é pacífico, mas também o sinal de ganância e inveja. Lembre-se também que toda a teoria de cores é influenciada culturalmente – branco significa a pureza em alguns países, mas não outros. Você precisa saber as regras culturais do seu público-alvo antes de escolher as suas paletas.

3. Inclua cores em seu enredo e cenário.
Com um toque de cor inesperada você pode surpreender seus leitores, ou fazê-los entender que algo grande na história está prestes a acontecer. Se você criar um cenário na paleta de cores do seu protagonista você o mantém estável ​​e feliz. Mas usando cores contrastantes você leva seus personagens para fora de sua zona de conforto.
Usar cores para desencadear emoções é uma grande ferramenta que a maioria dos cineastas já compreender e usa com grande efeito. Pense sobre a menina no casaco vermelho de A Lista de Schindler como um exemplo clássico. Aprenda estudando como outros escritores e artistas a usar as cores para mudar o humor, ou experimente com seu próprio trabalho em andamento.
Use cores sabiamente e verá como elas mudam a intensidade de suas cenas, abalam o status quo e aceleram sua própria criatividade.

Compartilhe!
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Sobre Carolina

Carolina
Apaixonada por livros, estudante de Letras e escritora em treinamento.

Check Also

hqdefault

Erros mais comuns: como não usar rótulos de falas e marcadores de ação

Não prejudique a graciosidade dos diálogos dos seus personagens com erros de pontuação ou estilo. ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Menu Title