Home / Ficção / Porque adicionar traços de personalidade legais (só porque são legais) não é legal

Porque adicionar traços de personalidade legais (só porque são legais) não é legal

Channing Tatum and Mila Kunis in a scene from the motion picture "Jupiter Ascending."

Estamos todos procurando por boa ideias para nossas histórias e personagens. É preciso algo único que faça nossa história chamar atenção nas prateleiras. Além do mais, quem não quer algo com uma dose extra de ‘maneirice’, só porque sim?
Mas espere um pouco.
‘Legal’, só porque é legal não é legal. Pense duas vezes antes de adicionar um traço ‘legal’ ao seu personagem.
É fpacil de acreditar que a coisa mais difícil de conseguir boas ideias justamente consegui-las. Mas esse é só o começo. Não é suficiente ter uma ideia incrível para a sua história. É ainda mais importante a forma como você a usa.
Por exemplo, vamos olhar para ‘O Destino de Júpiter’. Se a ideia de um assassino lobisomem-alien-hibrido é legal ou não você escolhe, mas com certeza foi feito para ser legal. De longe, a coisa mais legal nesse personagem é a sua propensão supostamente incontrolável por arrancar as gargantas dos nobres. É o que criou o fantasma da sua história de fundo: o risco de sua relação com a protagonista da realeza. É obscuro, é perigoso, e de certa forma é legal.
Isso parece como um prenúncio. Certamente ele vai rasgar alguma garganta em algum momento da história. E esse aspecto do persoangem vai interessar mais para o final da história.
Mas… não. A ideia nunca completa o círculo e se realiza na segunda metade. Na verdade, a importância desse traço nunca importa para a história.

Você está tirando vantagem de todas as suas boas ideias?
Considere sua história. De quais aspectos você se orgulha mais? Quais aspectos do seus protagonista são mais interessantes? Agora, olhe de novo. Você fez mais do que simplesmente mencionar esses aspectos? Alguma cena em sua história realmente usa essas características?
Esse princípio é realmente importante para duas técnicas:
1 – Presságios
Se você enfatiza algo na primeira metade, você precisa a tona na segunda metade. Isso é importante especialmente quando é algo tão legal que deixa o leitor interessando e aguça seu apetite.
2 – Mostrar x Contar
No caso do lobisomem-alien-hibrido seu passado como louco estripador de gargantas acaba sendo toda a história de fundo (o que levanta outro problema inerente, de o pano de fundo ser mais interessante que a história principal). O problema é que a importante história acaba sendo contada ao invés de mostrada. Esse traço supostamente importante nunca é provado, e como resultado, acaba trazendo bem menos peso para a história do que poderia.
A última coisa que qualquer um de nós quer fazer é desperdiçar nossas melhores ideias. Então tenha certeza de que você está tirando o melhor de todos os personagens, especialmente dos traços que mais provavelmente interessarão ao leitor.

Compartilhe!
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Sobre Carolina

Carolina
Apaixonada por livros, estudante de Letras e escritora em treinamento.

Check Also

hqdefault

Erros mais comuns: como não usar rótulos de falas e marcadores de ação

Não prejudique a graciosidade dos diálogos dos seus personagens com erros de pontuação ou estilo. ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Menu Title