Home / Ficção / 5 Pilares da Ficção

5 Pilares da Ficção

Já vimos que mais importante na ficção é uma forte experiência emocional, veremos agora os 5 pilares que sustentam essa experiência.

– Cenário
É o mundo onde se passa a história. Inclui a geografia, a população, a flora, a fauna, o contexto histórico, político, econômico, as comidas, linguagens, regras sexuais.
Alguns gêneros exigem que você crie todo o mundo, já em outros você pode assumir que estamos no nosso próprio mundo, e existem inumeráveis intermediários entre esses.
O tipo de mundo que você escolher pode limitar ou ampliar os sentimentos passados pelo livro.
Exemplo: a descrição de um floresta bonita e ensolarada dificilmente ajude a assustar um leitor.

– Personagens
Os personagens precisam ter suas próprias histórias, ambições, desejos, valores (chamamos isso background). E o conflitos entre os desejos desse personagens e o que os impede de alcançá-los será um dos principais fatores para gerar a experiência emocional na sua história. O leitor precisa sentir empatia por ao menos um dos personagens, se sentir na pele dele, torcer por ele.
Exemplo: Scarlett O’Hara em “E o Vento Levou” tinha o desejo de ser apenas uma beldade sulista que vive em bailes, mas se deparou com um imenso conflito, a guerra, que mudou totalmente seu estilo de vida.

– Enredo
São os acontecimentos que movem sua história para frente. Porém essas ações precisam ter significado para ao menos algum dos personagens da história. Atrapalhar ou ajudar o personagem a chegar no seu objetivo. Caso contrário ela não tem razão para estar no livro.
Exemplo: Em “Os Pilares da Terra”, bandidos roubam o porco de Tom, um dos trabalhadores da construção da catedral. Tom briga com os bandidos mas o porco foge. Essa cena serve para começar a aumentar no leitor a sensação de desespero em vista da fome que está chegando.

– Tema
O que o livro quer dizer por trás da história? Pode ser algo profundo, ou simples como “todos precisam ser amados” ou “o crime não compensa”.
Exemplo: Em o conto “O Conto das Duas Cidades” o personagem principal se apaixona por uma mulher casada e acaba se sacrificando para salvar esse marido (esse é o enredo). O tema do livro pode ser descrito como “a redenção através do auto-sacrifício”.
Porém o livro não deve ser pensado começando-se pelo tema. Geralmente, quando o escritor começa por ele o livro acaba tendo personagens rasos, uma história incoerente e que mais parece um sermão. Trabalhe no background dos personagens primeiro, em como eles reagem ao enredo, e se achar necessário, ao final, ajuste detalhes para melhorar o tema.

– Estilo
É a forma única de cada escritor se expressar. Um misto de personalidade, voz, tom, inteligência, senso de humor…
O estilo é algo que se faz com o tempo. Escrevendo muito você começa a perceber sua própria forma de dizer as coisas.
O mais importante é saber que você precisa desenvolver seu estilo próprio. Tentar copiar outros escritores vai sempre soar falso e artificial, além de ser sempre inferior ao original.

Então de hoje em diante, ao escrever tenha sempre em mente se os 5 pilares estão sustentando sua história direitinho, senão ela corre o risco de desmoronar na cabeça do seu leitor.

Essa classificação foi feita por Ingermanson e Economy no livro Writing Fiction for Dummies.

Compartilhe!
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Sobre Carolina

Carolina
Apaixonada por livros, estudante de Letras e escritora em treinamento.

Check Also

cena-de-no-coracao-do-mar-1449022541269_956x500

A razão para escolher um protagonista

Na maior parte do tempo, os escritores não escolhem um protagonista, mas o protagonista nos ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Menu Title