Home / Ficção / Estrutura de três atos

Estrutura de três atos

Uma das formas de organizar seu romance é a estrutura de três de atos, que consiste na criação de três desastres. Ela é muito usada tanto em livros quanto em filmes. Basicamente essa estruturação consiste em dividir sua história em início, meio e fim, com pontos de tensão bem distribuídos entre eles.
Usaremos como exemplo o enredo bem conhecido do filme Star Wars – Uma Nova Esperança para ficar bem claro como encaixar essa estrutura na história.


– Ato 1
Geralmente ocupa o primeiro quarto do seu romance e é usado para apresentar os personagens, a situação em que vivem e termina com o primeiro grande desastre.
O personagem de início pode não ter nenhum objetivo claro ou importante e estar apenas vivendo sua vida. O desastre do ato final é o que irá conduzir o personagem à grande aventura.
Exemplo: Luke Skywalker está levando sua vida tranquila como fazendeiro até que sua família é morta pelo Império (primeiro desastre). A mensagem da princesa a fuga dos dróides, o ataque do povo da areia são apenas situações que o conduzem a esse momento crucial.


– Ato 2
Ocupando geralmente metade do livro, e é quando acontecem mais dois desastres, que ficam cada vez maiores.
O segundo desastre costuma localizar-se no meio do livro e o terceiro e maior de todos encerra o ato 2.
Essa é a parte da história que deve conduzir os personagens a resolução, porém mantendo sempre o leitor interessado.
Exemplo: Para Luke, o segundo desastre do filme foi a morte do seu mentor Obi-Wan Kenobi nas mãos do vilão da história Darth Vader. Note que ele havia cumprido o que parecia seu objetivo: resgatar a princesa Leia, mas esse outro desastre o leva a continuar a história – ele descobre sobre a Aliança Rebelde e deseja se vingar do Império.
Enquanto planejam o ataque o Rebeldes são descobertos pela Estrela da Morte e esse é o terceiro desastre do livro que força uma resolução: os personagens precisam decidir se arriscam tudo em um ataque decisivo ou se tentam fugir. Ao decidir pelo ataque a história caminha para o terceiro ato, quando temos uma situação de tudo ou nada.


– Ato 3
O último quarto do livro é onde acontece o clímax, ou resolução. É onde você responde a grande questão da sua história: se seus personagens serão ou não bem sucedidos.
É importante notar que você pode usar três tipo de finais:
Final Feliz: quando os personagens são bem sucedidos em seu objetivo.
Final Infeliz: os personagens falham no objetivo.
Final Agridoce: os personagens são bem sucedidos mas algo ruim acontece, ou eles não tem sucesso mas algo de bom acontece.
O importante é tem em mente que você precisa responder a grande questão do romance, aquela pela qual os leitores ansiaram durante quase todo o livro. E isso precisa ser coerente com os valores dos personagens e com as regras do mundo.
Exemplo: No caso de Star Wars, a questão: “Luke e os Rebeldes irão vencer o Império?”, nessa parte da história nós temos uma resposta: “sim!”, e com todos os personagens agindo de forma coerente a suas naturezas.


Só lembrando que essa não é a única opção para estruturar a sua história, é só uma muito popular e que se bem usada funciona em agradar os leitores.


Veja cada um dos atos discutidos mais profundamente:
“Ato 1 – Fisgando o Leitor”
“Ato 1 – Criando Laço com o Leitor”
“Ato 1 – Mundo e Tom”
“Ato 2 – Criando o Meio da história”
“Ato 2 – Energizando o Meio da História”
“Ato 3 – Finais”

Compartilhe!
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Sobre Carolina

Carolina
Apaixonada por livros, estudante de Letras e escritora em treinamento.

Check Also

Little-Men-Tommy-Banks-768x509

8 dicas para escrever personagens crianças

Com sua mistura fascinante de inocência, estado de alerta, egoísmo, e idealismo, personagens infantis pode ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>